quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Sade no teatro em 2012



O Marquês de Sade é tema da peça “Agora, nem te conto: Sade”, em fase de produção e com data de estreia para julho de 2012 no Teatro Tom Jobim,  mesclando interpretação ao vivo e em telão. A direção é de Claudio Villela e conta com música de Isabella Taviani e Maria Callas. Eduardo Dusek e Elke Maravilha fazem participações no telão.  O espetáculo vai narrar os últimos anos de vida passados na casa de recuperação mental de Charenton, nos arredores da Paris do século XVIII.

NOTA HOJE NO O GLOBO , CADERNO ZONA SUL - COLUNA ABALO



terça-feira, 18 de outubro de 2011

Você conhece o Cli Le Shalom?




A consultora ambiental Sandra Strauss criou o Cli Le Shalom, que trabalha com harmonização de ambientes pela Cabala. Uma novidade por aqui. Como histórico: desde 2004 vem trabalhando com a técnica, e já atendeu cerca de 400 ambientes, entre casas, apartamentos, fabricas, lojas, escritorios, consultorios (das mais diversas areas cardiologia, nutricao, fisioterapia, psicologia, odontologia etc..) empresas diversificadas, bancos,restaurantes, joalherias, lojas do ramo imobiliário, revestimentos e decoração. E ao longo dos trabalhos vem se configurando ótimos resultados.

A técnica foi moldada após estudos de harmonização conhecidos como "saúde da casa". A aplicação é feita através de uma programacao no fluxo do campo magnetico dos ambientes. Esse trabalho faz uma adequacao do espaco fisico levando em consideracao: localização, pontos cardeais, edificaçao, locais no ambiente mais/menos frequentados , com as frequencias geradas pelos habitantes (virtudes, pensamentos, sentimentos e desejos). A partir do estudo do ambiente as letras do alfabeto hebraico são escolhidas e colocadas em pontos centrais. E não precisa tirar nada do lugar. Tudo é através das letras. Pode ser usado no ambiente na planta ou mesmo já construído.

A profissional também cria nomes para espaços com análise na Guematria (numerologia cabalistica) - que é método matemático de análise das palavras bíblicas "somente" em hebraico, o qual existe na Torah (Pentateuco) há mais de 3.300 anos. Cada letra do Alfabeto Hebraico possui um valor númerico, assim uma palavra é o somatório dos valores das letras que a compõe.

Sandra Strauss dá aula no Centro Cultural Midrash sobre assuntos da Cabala.
Veja mais em www.sandrastrauss.com.br


Harmonização de ambientes pela cabala


Manter as energias de casa ou do trabalho de acordo com a essência espiritual em constante combinação com o meio que lhe cerca: esta é a principal premissa da harmonização de ambientes pela cabala ou “Cli Le Shalom”, trabalho que é novidade por aqui e que Sandra Strauss vem difundindo desde 2004. Engenheira biotecnóloga formada em Israel, Sandra estuda assuntos energéticos relacionados à medicina da casa desde 2000, usando o princípio da constituição energética de cada lugar, programando o fluxo vital e integrando-o de forma particular e dinâmica. “Habitação e habitante formam um conjunto indissociável em contínua interatividade. Nossa casa e nosso local de trabalho acabam sendo modelados pelos nossos programas mentais, emocionais e culturais”, diz Sandra, que adapta o ambiente sem mexer no projeto do arquiteto, mas trocando informações entre o fluxo do campo energético do espaço em questão.


Explicando melhor, a Harmonização acontece quando se aplica a "bússola cabalística”, conhecida como Árvore da Vida pelo judaísmo, que é uma entre muitas ferramentas utilizadas pela Cabala para a correta compreensão das forças que regem o universo. De acordo com a Cabala, a realidade se apresenta em 10 dimensões, representada pelas 10 sefirót (canais de energia Divina ou forças de vida). Elas funcionam como vias através dos quais a Luz do Mundo Infinito chega ao Mundo Físico, alimentando tudo o que existe, incluindo as nossas almas. Dessa forma, a casa (ou o ambiente em questão) recebe "incorporalmente" a Árvore da Vida e se transforma em um receptor onde é possível programar o fluxo do seu campo energético. Para quem não está habituado com a filosofia da Cabala, pode se pensar em um paralelo com o feng shui, mas a essência é outra: “O feng Shui se baseia no Taoísmo. O “Cli le Shalom” são ajustes incorporais baseados na Cabala onde as ferramentas de programação do fluxo do campo energético são as letras do alfabeto hebraico”, explica Sandra.

terça-feira, 6 de setembro de 2011

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Orquestra & Coral Cigam se apresenta no Clube Militar - dia 29 de setembro às 19 horas no Clube Militar (Centro)





Orquestra & Coral Cigam se apresenta no Clube Militar - dia 29 de setembro às 19 horas no Clube Militar (Centro)

Ana Cristina e o Duo Adrián Barbet / Nora Fortunato são os convidados do evento

Quer um bom motivo para ficar mais um tempinho depois do trabalho no Centro do Rio, com boa música e de graça? No dia 29 de setembro, às 19 horas, a Orquestra & Coral Cigam se apresentam na sala Carmela Dutra, no Clube Militar, no Centro. No repertório, músicas de autores conhecidos com novos arranjos feitos por alunos do Centro Musical Cigam como “Cai Dentro” (Baden Powell / Paulo César Pinheiro), “Apesar de Você” (Chico Buarque), “April Child” (Moacir Santos), “Nascente” (Flávio Venturini), além de composições de alunos e professores. Uma apresentação de forma didática sob a batuta do mestre Ian Guest.

Para esta apresentação haverá a participação do Duo de música latina do professor Adrián Barbet com a violoncelista e aluna Nora Fortunato e a presença da cantora e aluna Ana Cristina, que mostrará um pouco do CD “Acaso” (recém-lançado pela Biscoito Fino).

Sobre o Duo formado por Adrian Barbet no piano e Nora Fortunato no violoncelo: transita por diversos ritmos e estilos musicais, como tango, choro, jazz, milonga e outros ritmos e influências latino-americanas, com uma abordagem sonora que o situa entre o popular e o erudito, alternando a execução rigorosa dos arranjos com espaços para a liberdade da improvisação. O repertório é composto em grande parte por composições próprias, embora também sejam interpretadas versões de alguns importantes compositores, como por exemplo Astor Piazzolla, Cuchi Leguizamon e Jaco Pastorius.

Sobre Ana Cristina: “Acaso”, música que dá título ao disco da cantora e compositora Ana Cristina, traduz o clima desse seu trabalho de estréia: romances, encontros, desencontros, promessas de amor e amizade, tudo regido pelo cenário da Cidade Maravilhosa. Este CD é resultado fiel do estilo e gosto de Ana Cristina. Nada em suas 10 faixas está ali sem que ela tenha escolhido ou aprovado. “Eu queria um disco acústico, sem recursos eletrônicos. Reuni músicos de qualidade e optei por me mostrar logo como compositora”, diz ela, que assina oito das dez faixas.

Importante: O evento é gratuito, mas com distribuição de senhas a partir das 18 horas no Cigam (que fica à frente do Clube Militar) e sujeita à lotação do espaço (60 lugares). Maiores informações pelo telefone 2532 0768.


Serviço

Orquestra & Coral Cigam (com participações de Ana Cristina e o Duo Adrián Barbet / Nora Fortunato)

Local: Clube Militar – Sala Carmela Dutra

Dia 29 de setembro (quinta-feira) às 19 horas.

Rua Santa Luzia 798 – sobreloja

Cinelândia - Rio de Janeiro - RJ

Capacidade: 60 lugares

Classificação Etária: livre

Entrada Franca - com retirada de senhas na rua Santa Luzia, 799/701 - Cinelândia , 1 hora antes do evento. Tel.: 21 - 2532 0768


Eletrosamba no Hipódromo (RJ) - quartas de setembro



Eletrosamba faz ensaio aberto e mostra CD no Hopódromo Up nas quartas de setembro

Conhecido pela mistura do samba, rock, eletrônica e hip hop, o Eletrosamba inicia no Hipódromo Up uma série de apresentações batizadas de “Black Soul Black” todas as quartas-feiras de setembro para mostrar o novíssimo e segundo CD Eletrosamba. A ideia é fazer um ensaio aberto para as pessoas curtirem os novos e antigos sons da banda.

O segundo CD, que tem a produção e a benção de Marcelo Yuka, é 100% autoral e independente, e conta as participações especiais de Gilberto Gil em "Black Soul Black" e do Rapper Xis em "Tive Fé", além da parceria com Marcelo Yuka em "Dia de Batalha".

Formada por Belieny (baixo e voz), DJ Negralha (pick-ups), Felipe Rodarte (violão), Wlatinho A.C. (percussão e voz) e Wellington Soares (percussão), a banda carioca que lançou sucessos como “Dona da Banca” e “Um Dia Inteiro”, mistura sambalanço, samba-funk, samba-soul, samba-rock com as modernidades dos beats, afrobeats, soundsystem e hip hop.

Making off de "Black Soul Black" com Gilberto Gil: http://www.youtube.com/watch?v=yId-I0HzYes&feature=player_embedded


Serviço:

Ensaio Aberto Eletrosamba - "Black Soul Black"
Hipódromo Up - todas as 4as-feiras de Setembro (dias 7, 14, 21 e 28)
Até 23h: R$ 20,00 - Depois de 23h: R$ 30,00
End.: Praça Santos Dumont, 108 - Jardim Botânico
(Parte superior do Hipódromo Restaurante e Bar)
Tel: 2294-0095

Capacidade: 300 pessoas

Classificação etária: 18 anos



segunda-feira, 29 de agosto de 2011

O BATUQUE SUSTENTÁVEL DO PATUBATÊ - NO RIO DE JANEIRO > DIAS 3 E 4 DE SETEMBRO




O BATUQUE SUSTENTÁVEL DO PATUBATÊ

Grupo de percussão de Brasília ministra oficina e apresenta show no Espaço Cultural Eletrobrás FURNAS, dias 3 e 4 de setembro. Tudo de graça

www.patubate.com


A matéria-prima é reciclável. A consciência, sustentável. No palco, a criatividade do grupo brasiliense PATUBATÊ une música, cultura, meio-ambiente e arte. Os instrumentos impressionam pela simplicidade e inovação. São feitos de latas, baldes, tonéis, bolas de basquete, panelas e até peças de automóveis. O som das sucatas inspira e leva os músicos a criar performances com ritmos como maracatu, samba, funk, afro, frevo, baião e tantos outros. É isso que eles pretendem mostrar na Oficina de Percussão Sustentável, que será realizada dia 3 de setembro e no show, dia 4, no Espaço Cultural Eletrobrás FURNAS. As atividades são gratuitas e as vagas limitadas.


Nas mãos dos músicos Fernando Mazoni, Fred Magalhães, Gustavo Lavoura, Pablo Maia e o DJ Leandronik, sucata não é lixo, é música. Tonéis, escapamentos de automóveis, chapas de zinco, panelas, latas de refrigerante, eletrocalhas ou peças de caminhão têm um destino muito curioso quando chegam ao alcance dos músicos do grupo PATUBATÊ. Toda esta sucata vira instrumento musical.

O grupo surgiu em 1999, com influência dos trabalhos dos norte-americanos Stomp e Blue Man Group e Hermeto Pascoal. O grupo PATUBATÊ alia criatividade à valorização dos ritmos brasileiros. Surge, então, o diferencial do grupo que é o de explorar a musicalidade brasileira em instrumentos não convencionais, inserindo a música eletrônica, em uma releitura mais moderna. Essa mistura funcionou muito bem e o grupo tem se apresentado por todo o Brasil e, mais recentemente, pela Europa, Estados Unidos e continente africano. Por onde passam chamam a atenção e agradam públicos de todas as idades, sendo citados como o Hermeto Pascoal do século XXI.

O grupo propicia ao público uma verdadeira e impactante experiência visual e sonora. Com essa mania criativa de tirar som de tudo, os músicos valorizam a riqueza rítmica brasileira, mudam a tradicional forma de se fazer música e, ainda, apresentam um novo conceito: a música ao alcance de todos.

SHOWS PERFORMÁTICOS

Os shows do grupo PATUBATÊ são visual e sonoramente impactantes. As performances em percussão com sucatas e música eletrônica incluem ritmos como samba, dance, funk e drum'n'bass. Efeitos visuais e sonoros são marcas registradas das criações dos músicos. Água, luz, fogo, som e movimento em performances desafiadoras exploram as percepções do público e tornam o show memorável.

OFICINA DE PERCUSSÃO SUSTENTÁVEL

Utilizando exclusivamente instrumentos alternativos confeccionados por eles próprios, os músicos além de proporcionar uma experiência visual e sonora inusitada, convidam o público a refletir sobre a responsabilidade com o meio-ambiente.

Panela de pressão, ralador ou tampas de panela não são meros utensílios culinários. Nas mãos do PATUBATÊ são transformados em instrumentos musicais. Uma mola de automóvel vira um triângulo. Em um orelhão, tem-se uma zabumba. Da bola de basquete, vem a marcação contínua do legítimo baião nordestino. Baldes viram ganzás (chocalhos). Tonéis viram bumbos de bateria. Eletrocalhas, utilizadas para fiação em garagens de edifícios, têm um timbre idêntico ao chimbal de uma bateria.

Estes instrumentos estão ao alcance de todos, em objetos que podem passar despercebidos ou, até mesmo, ir direto para o lixo. De maneira consciente, o acesso à música é facilitado e o PATUBATÊ incentiva o surgimento de uma nova leva de percussionistas que alia a criatividade à reciclagem de materiais. PATUBATÊ é consciência, cidadania, arte, cultura e entretenimento.

Serviço

Oficina de Percussão Sustentável

Inscrições gratuitas pelo e-mail oficinapatubate@guinadaproducoes.com.br

Data: 03/09/2011

Local: Espaço Cultural Eletrobrás FURNAS

Endereço: Rua Real Grandeza, 219 - Botafogo

Horário: das 15h às 18h

50 vagas

Classificação indicativa: 12 anos

Capacidade: 190 lugares

Tel: 21- 2528 2794

Show Patubatê

Data: 04/09/2011

Local: Espaço Cultural Eletrobras FURNAS

Endereço: Rua Real Grandeza, 219 - Botafogo

Horário: 19h30

Entrada gratuita

Classificação indicativa: livre

Capacidade: 190 lugares

Tel: 21- 2528 2794

"O Maior menor espetáculo da terra" na coluna da jornalista Patrícia Kogut, de O Globo


domingo, 28 de agosto de 2011

Vem aí "O Maior menor espetáculo da terra" - Em outubro

“ O MAIOR MENOR ESPETÁCULO DA TERRA” estreia no Rio de Janeiro

O premiado grupo carioca "Centro Teatral e Etc e Tal" traz para o público um verdadeiro circo de pulgas recheado de humor, virtuose e atrações fantásticas com elenco de pulgas dos cinco continentes.

Conhecido nacional e internacionalmente pelos seus espetáculos de fala de humor ácido e uso da mímica como expressão gestual impactante, o grupo carioca "Centro Teatral e Etc e Tal" (Alvaro Assad, Marcio Moura e Melissa Teles-Lôbo) traz para o público do Rio de Janeiro seu mais novo espetáculo "O MAIOR MENOR ESPETÁCULO DA TERRA”. A temporada inicia dia 1 de outubro na Caixa Cultural Rio Teatro de Arena e vai até o dia 16 de outubro. Depois o espetáculo segue para o Teatro SESI – Centro, dias 22 e 23 de outubro.

Em um ano, "O MAIOR MENOR ESPETÁCULO DA TERRA” já passou por Curitiba e São Paulo, com publico estimado de 10.000 pessoas. O “Centro Teatral Etc e Tal” comemora 18 anos de estrada artística, onde todas as técnicas de ilusão, histrionismo, pantomimas o rigor estético apurado fazem a diferença dentro de um contexto rico em interpretação.

Link no you tube: http://www.youtube.com/watch?v=W5_hD-hRnCg

Site: http://www.etcetal.art.br

Sinopse

Um espetáculo onde um GRANDE-mínimo-NOVÍSSIMO e compacto do CIRCO DE PULGAS é montado. Sim, sim. Venham, venham todos e preparem-se para assistir sobre o comando de um inusitado trio cômico ao menor ser da Terra! A PULGA. Da China Pun Ching Oo a pulga Funâmbula, da Argentina PulGardel a pulga bala, da Oceania as lindas pulgas gêmeas trapezistas Pulg Lee e Pilg Luu e dentre tantas outras uma inimaginável pulga indomável da floresta do Zimbábue! Todas elas com talentos arrebatadores e incrivelmente trabalhados por um trio de cômicos Mestres de Cerimônias, conduzindo o público a ver o que não pode ser visto e imaginar um extraordinário mundo mambembe em miniatura.

Encenação

O Circo de Pulgas é uma arte que teve seu início registrado no século XVIII, onde o conceito de higiene não encontrava espaço nos dicionários e nos hábitos da sociedade em geral; como o “mundo era das pulgas” e a glória pertencia a quem as conseguisse “domar”. Incontáveis ágeis adestradores apresentavam seus shows repletos de atrações a uma plateia que conhecia muito bem seus ”mínimos artistas ”.

Durante séculos, os domadores dessas minúsculas feras eram considerados verdadeiros heróis e seus espetáculos atrações prediletas e obrigatórias de uma população habituada a partilhar o corpo com os estes milimétricos insetos. Seguindo esta lógica, as pulgas, estes pequenos seres, não encontrariam moradas em corpos alheios enquanto estivessem num Circo. O tempo passou, a sociedade mudou e, mais tarde, na década de 60 do século passado, enquanto os Circos de Pulgas tombavam no esquecimento, a ciência despertou para o estudo das olímpicas qualidades da ‘pulex irritans’ . Hoje sabe-se tudo sobre o que faz as pulgas serem o que são, a razão das suas extraordinárias performances, mas já não há quem queira assumir a microscópica tarefa de domá-las.


Para os que têm medo precisamos dizer que talvez as pulgas não estejam lá, mas é como se estivessem. De qualquer forma pela rapidez que elas se deslocam nem com uma luneta! O Circo de Pulgas é uma encenação para um público que tenha o poder de acreditar na ilusão da realidade, quase real, quem sabe...


O texto é uma mescla de dramaturgia de números clássicos do circo tradicional com uma profunda pesquisa científica do universo das pulgas e claro, a comicidade característica do ETC E TAL.

Refletores, lona, picadeiro, plateia, corda bamba, cama elástica, trapézio, microfones, cortinas e tudo o mais que possamos pensar está lá.... Na verdade até aquilo que não poderíamos imaginar.


Pela primeira vez um grupo teatral monta uma forma de teatro muito popular em outras épocas e em outras terras. Tradicionalmente feito por um único ator/apresentador/domador o 'Circo de Pulgas' é um modo encantador de arte cênica que vem sendo esquecido ao longo das décadas. Montar no Brasil este especial tipo de teatro é um desafio instigante, onde mímica, magia, circo, teatro popular e engenharia cênica se encontram para levar primeiramente ao público paulistano uma peculiar montagem inédita e apaixonante. Uma experiência para públicos de todas as idades!


Uma verdadeira estrutura circense montada no palco e na plateia. Uma maquinaria em miniatura no centro de um grande picadeiro. Truques de mágica e engenhocas sem limites para trazer o público o mais próximo o possível da experiência instigante de ver o que não se pode ver e imaginar o que não está ali. Com a experiência cenográfica de Domingos Montagner, aliada ao conhecimento da estrutura circense tradicional o ETC E TAL ousa transformar o palco do teatro num verdadeiro picadeiro.


Ficha Técnica

Texto e Direção: Alvaro Assad e Melissa Teles-Lôbo | Atuação: Alvaro Assad, Marcio Moura e Melissa Teles Lobo | Cenário e Assessoria Circence: Domingos Montagner | Figurinos: Fernanda Sabino |Adereços: Maria Cecília Meyer e Amanda Gaiarsa (Atelier de brincadeira) |Desenho de Luz: Aurélio Oliosi | Música Original: Marcelo Pellegrini | Preparação Mímica: Alvaro Assad | Coreografia: Marcio Moura | Designer: Ato Gráfico | Fotografias: Ricardo Gabriel | Montagem e Operação de luz: Levi Leonardo | Operação de som: Fernanda Sabino | Manutenção e Apoio Operacional: Arise Assad | Produção e Realização: Centro Teatral e Etc e Tal


Histórico do grupo

Centro Teatral e Etc e Tal, grupo carioca criado em 1993 é composto pelo trio de cômicos Alvaro Assad, Marcio Moura e Melissa Teles-Lôbo; desenvolve sua pesquisa artística calcada na tríade Teatro-Mímica-Humor, imprimindo uma linguagem própria e aprofundada sobre a mímica e a comicidade, sem perder o que mais se preza no fazer teatral: a relação empática com o público. Anualmente o grupo realiza cerca de 150 apresentações de seus espetáculos de repertório (Fulano&Sicrano; Victor James; O Macaco e a Boneca de Piche; A Onipotência do Sonho; No Buraco; ¿Branca de Neve? e Draguinho (infantil) atingindo uma média de 25 mil espectadores pelas mais diferentes cidades do Brasil e tem representado o país em diversos Encontros e Festivais de Teatro, Mímica , Novo Circo e Comicidade na América Latina e Europa.


Serviço:

"O MAIOR MENOR ESPETÁCULO DA TERRA”

Duração do espetáculo - 50 minutos

Gênero - Comédia / Infantil

Classificação Etária - Livre para todos os públicos ; Indicado para crianças acima de 05 anos

TEMPORADA - De 01 à 23 de outubro de 2011 > ESTREIA 01 DE OUTUBRO DE 2011

Onde: CAIXA CULTURAL RIO TEATRO DE ARENA (01 à 16 de outubro de 2011)

Sábados e domingos às 17h, ingresso R$6,00

Rua Almirante Barroso, 25 centro (próximo a estação do metrô Carioca)

Informações (21) 2544.4080

Capacidade: 150 pessoas

Onde: TEATRO SESI – Centro (dias 22 e 23 de outubro de 2011)

Sábado e domingo às 15h - R$5 (inteira)

Av. Graça Aranha, 1 - Centro / RJ
Telefone: 2563-4168
Bilheteria: 2563-4163

Capacidade: 350 lugares


CURRÍCULO DA EQUIPE

Alvaro Assad – Direção, Texto, Preparação Mímica e Atuação

É mímico, diretor e ator. Pesquisa e desenvolve sua técnica artística há 19 anos, tendo trabalhado e se aperfeiçoado na técnica gestual em 1991 com Luís de Lima (mímico português parceiro do mestre francês Marcel Marceau). Formado pela CAL-Casa das Artes de Laranjeiras em 1994 junto com o falecido diretor vanguardista Marcio Vianna. Fundou em 1993 o grupo carioca "Centro Teatral e Etc e Tal", do qual é, gestor , diretor, ator e preparador mímico. Junto com as ações e os espetáculos do ETC E TAL faz parte do Conselho Consultivo do CBTIJ- / Assitej -Brasil e é também curador consultivo do Festival Anjos do Picadeiro-Encontro Internacional de Palhaços, do Sesc FestiClown de Brasília e do Janeiro Brasileiro da Comédia 2009 - São José do Rio Preto-SP. Foi agraciado com 07 prêmios de
Melhor Ator e 05 prêmios de Melhor Diretor por sua atuação/direção em “Fulano e Sicrano”, Victor James” e “O Macaco e a Boneca de Piche” em diversos festivais nacionais ” . Em 2008 recebeu indicação ao Prêmio Shell de Teatro de SP pela direção de “A Noite dos Palhaços Mudos” e ao Prêmio Fensa Coca Cola pelo mesmo espetáculo nas categorias Melhor Direção e Melhor Adaptação. Indicado ao PRÊMIO BRAVO 2009.

Melissa Teles-Lôbo – Direção, Texto e Atuação

Mímica e atriz formada pela Casa das Artes de Laranjeiras no Rio de Janeiro em 1998, cursou a escola de Teoria de Teatro da Universidade do Rio de Janeiro. Desde 1998 é integrante exclusiva do Centro Teatral e Etc e Tal sendo membro gestor e criadora de Projetos do grupo. Ganhou os prêmios de melhor atriz nos Festivais de Teatro de Americana-SP pelo espetáculo “Victor James” e Pindamonhangaba-SP nos anos de 2002 e 2003 pelo espetáculo “O Macaco e a Boneca de Piche”, tendo sido agraciada na 1ª Edição com o Prêmio Zilka Sallaberry de Teatro para Crianças por sua atuaçãoem“¿Branca de Neve?” no ano de 2006.

Marcio Moura – Atuação

Ator, mímico e bailarino vem se apresentando no Centro Teatral e Etc e Tal desde 1993. Estudou na CAL - Casa das Artes de Laranjeiras-RJ e UNI-RIO Universidade do Rio de Janeiro em interpretação é um dos fundadores e gestores do grupo. Foi premiado na categoria de Melhor Ator nos Festivais de Teatro de São Mateus-ES em 1999 e Isnard Azevedo- Florianópolis e Americana-SP , ambos em 2000, por sua atuação em “Fulano e Sicrano” e em Pindamonhangaba-SP 2003 por “O Macaco e a Boneca de Piche”, tendo sido indicado ao Prêmio Zilka Sallaberry- RJ na categoria de Ator em 2006 por sua atuação no espetáculo “¿Branca de Neve?”, assim como na Edição 2008 do Premio Zilka Sallaberry-RJ na categoria de Melhor Ator por sua atuação no espetáculo DRAGUINHO.




Domingos Montagner – Cenógrafo e Consultor Circense

Ator e Artista Circense, Um dos fundadores da Pia Fraus Teatro, o que favoreceu a condução de seu rumo teatral em direção a pesquisa de diversas linguagens. Iniciou no Circo Escola Picadeiro em 1989 e em 1991, conhece Fernando Sampaio e passam a desenvolver várias técnicas circenses. Em 1997, oficializam a parceria, criando o La Mínima. Aperfeiçoou-se na França na Escola Nacional de Annie Fratellini , na Escola de Trapézio Volante de Jean Palacy. e na arte do palhaço com Leris Colombaioni na Itália. Trabalhos recentes destacam-se o espetáculo “A Noite dos Palhaços Mudos” em 2008, o qual recebeu 04 indicações ao Prêmio SHELL,sendo agraciado com o de MELHOR ATOR, Prêmio Cooperativa Paulista de Teatro MELHOR ELENCO e ESPETACULO ambos por “A Noite dos Palhaços Mudos”. Autor de todos os projetos cenográficos do grupo La Mínima, foi indicado em 2008, ao prêmio Femsa, pela cenografia de A Noite dos Palhaços Mudos e o O Médico e os Monstros. É também um dos fundadores do Circo Zanni, projeto que busca revitalizar a importância dos circos de pequeno e médio porte na vida cultural das cidades. Atualmente seu trabalho como ator é referenciado pela interpretação do personagem Herculano na novela da Rede Globo – Cordel Encantado.

Fernanda Sabino – Figurino

Figurinista formada pela Escola de Belas Artes da UFRJ, em 1999. Com experiência profissional desde 1995, participou de diversas montagens teatrais. Indicada ao prêmio Maria Clara Machado de Teatro Infantil, com o espetáculo “ Cyrano de Berinjela” e 02 vezes vencedora do prêmio Zilka Sallaberry de Teatro para Crianças, com os espetáculos “Pequenas Histórias do Mundo” de 2007 e “A Lenda do Príncipe que Tinha Rosto” em 2009. Foi figurinista nas seguintes montagens dos grupos cariocas Centro Teatral e Etc e Tal (espetáculos: O Maior Menor Espetáculo da Terra; Draguinho, diferente de todos, parecido com ninguém; No Buraco; O Macaco e a Boneca de Piche; Victor James; Fulano e Sicrano) e Cia de Teatro Artesanal (O Homem que Amava Caixas; A Lenda do Príncipe que Tinha Rosto; Pequenas Histórias do Mundo; Couro de Piolho; Cyrano de Berinjela)

Marcelo Pellegrini – Música Original

Compositor e produtor musical. Desde 1992 compõe e produz trilhas para TV, dança. teatro e cinema. Entre as mais de 50 trilhas originais para teatro nesse período, destacam-se as longas parcerias com os diretores José Celso Martinez Corrêa (Os Sertões, Cacilda!, As Bacantes), Beth Lopes (Como me tornei estúpido, Silêncio, Os brutos também amam), Renata Melo (Simpatia, Turistas e Refugiados, Passatempo), além da Cia. La Mínima (O Médico e os Monstros, A Noite dos Palhaços Mudos, Piratas do Tietê). Recebeu duas vezes o Prêmio Shell de Teatro – melhor música (98 por “À Margem da Vida” e 2002 por “Os Sertões - A Terra). Em2008 foi indicado aos prêmios Shell e FEMSA pela trilha de “A Noite dos Palhaços Mudos”, da Cia. La Mínima.